Dia das Crianças movimenta comércio em Manaus



Dia das Crianças movimenta comércio em Manaus

Por: Cíntia Valadares 
20 Set 2017, 19h58

 

A menos de um mês do Dia das Crianças, comemorado no dia 12 de outubro, os comerciantes estão otimistas e acreditam numa alta de 10% em relação ao mesmo período no ano passado. Já de acordo com a pesquisa da CDL-M (Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus), divulgada nesta quarta-feira, 20, a expectativa é que as vendas neste período tenham um crescimento de 1,55% em relação a 2017, resultando em uma receita bruta de R$ 42,9 milhões. A pesquisa ouviu 550 pessoas na capital do Amazonas e concluiu ainda que o presente deve ter o custo médio de R$ 97,60.

De acordo com Erick Bandeira de Melo, diretor de operações do grupo Tropical Multiloja, o aumento nas vendas vai depender do comportamento do varejo e segundo ele, o consumidor irá gastar algo em torno de R$ 70 na compra do presente do Dia das Crianças. A empresa este ano investiu em brinquedos que incentivam a prática esportiva, como patins, bicicletas, patinetes e skates. No entanto, segundo Melo, os brinquedos de personagens da Marvel, Disney, DC Comics, são recordistas em vendas.

"A gente acredita que por conta dessa carga de campanhas na internet incentivando os pais a colocarem os filhos para brincar na rua, por conta da faixa liberada, do aumento do número de famílias praticando atividades físicas, e também pela conscientização desse tema, muitos pais acordaram e estão procurando mais por esse tipo de brinquedo, então acreditamos que será um ano de boas vendas neste segmento", comentou.

Investimentos e contratações
Segundo Erick Melo, a empresa fez um estudo para saber a quantidade de produtos necessárias para aumentar o faturamento de 2017. Para o diretor de operações, é preciso ter cautela, no entanto, para haver alta no faturamento é preciso fazer investimentos. "Em cada data nós viramos a loja, ou seja, colocamos produtos específicos da data na maior parte da loja, com isso, é necessário que se tenha muitos produtos, e depois com o mercado se recuperando, o que sobrar nós vendemos no Natal", disse Erick.

A empresa investiu também na contratação de 45 funcionários temporários, para atender a demanda dos próximos 3 meses, para Dia das Crianças, a inauguração de mais duas lojas, Black Friday, Natal e Reveillon.

Números da pesquisa
Segundo a pesquisa da da CDL-M (Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus), 22,7% dos entrevistados pretendem comprar itens do vestuário como presente para as crianças, em seguida, estão as bonecas (22,5%), carro com/sem controle remoto (12,2%), bicicleta (9,5%), e vídeo game (6%). Estes também foram os cinco itens no topo da lista de intenção de compras dos entrevistados no ano passado.

Já as crianças têm uma opinião diferente dos pais, 19,6% pretendem ganhar bicicletas; 15,3% pretendem ganhar vídeo game; 12,9% pretendem ganhar celular/smartphone; 14,9% pretendem ganhar bonecas; e 14,6% pretendem ganhar tablet.

Relação custo x benefício
A maioria dos entrevistados (51,25%) informou que pretende comprar e pagar em dinheiro. 23% acreditam que o cartão de crédito é uma melhor opção por poder realizar as compras e parcelar o valor, 14% utilizaram o cartão de débito, 9% cartões de lojas e 1,16% no crediário e carnê.

De acordo com a pesquisa, o Centro de Manaus ainda é o lugar de maior procura na hora de efetuar a compra do presente, 48% dos entrevistados irão fazer as compras em lojas populares, 24% preferem os shoppings, 24% irão fazer optaram pelo comércio dos bairros em que moram e 1,0% vão fazer suas compras nos camelôs e supermercados.

Para a vendedora Erika Souza, 35, a opção de comprar no Centro da cidade tem a ver com o preço pago na mercadoria. "No Centro a gente tem mais opções e preços mais em conta, como voltei a trabalhar há dois meses, ainda não posso gastar muito, então pra não deixar a data passar em branco, vou comprar os presentes das minhas duas filhas por lá", disse.

Já a secretária Jéssica Oliveira, 40, prefere fazer suas compras no shopping, e tudo isso por conta da falta de tempo e da segurança. "Eu trabalho o dia todo, só tenho tempo a noite, o centro não fica aberto a noite, mas mesmo que eu tivesse tempo, por medo eu não iria no centro, tem muito moleque assaltando, a gente vai com medo, apreensiva, nem consegui se concentrar, então prefiro o conforto e a segurança dos shoppings mesmo pagando um pouco a mais", comentou.

A estimativa de crescimento de vendas para o Dia das Crianças e Natal é de 10%, segundo o presidente da Abrinq (Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos), Synésio Batista da Costa. Segundo a entidade, a expectativa comprova que a economia apresenta melhora, e a indústria de brinquedo acompanha essa fase. No primeiro semestre de 2017, o crescimento foi de 2,5% acima do apurado no mesmo período de 2016.

Fonte: Jornal do Comeércio