Oportunidade para temporários



OPORTUNIDADE PARA TEMPORÁRIOS

 

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) prevê que o Natal deste ano deverá registrar aumento, tanto nas vendas quanto na abertura de vagas temporárias, após dois anos consecutivos de queda. A Confederação estima a contratação de 73,1 mil trabalhadores temporários, um avanço de 10% em relação aos 66,7 mil postos criados no ano passado. Em relação ao volume de vendas do fim de ano, a CNC prevê avanço de 4,3% no varejo, o equivalente à movimentação financeira de R$ 34,3 bilhões até dezembro.

Em Manaus, a expectativa de alguns comerciantes também é animadora para as festas do final do ano. A exemplo, do Grupo Tropical Multilojas que, segundo gerente de operações, Erick Bandeira, o grupo já contratou 34 pessoas para atender os clientes no período natalino. "E com o aumento de pessoal, esperamos um crescimento de 8% a 10% no faturamento por metro quadrado. E esse crescimento se deve a estratégia que a gente escolheu nesse final de ano", disse. 

O gerente informou ainda que a empresa abrirá uma loja temporária de aproximadamente 400 metros quadrados no Amazonas Shoppping. "Nessa loja empregaremos mais 30 pessoas em cargos temporários. Mas normalmente de todos os cargos temporários que a empresa contrata para o final de ano, é muito comum efetivarmos metade dessas pessoas no mês de janeiro, devido uma renovação de quandro, uma vez que funcionários mais antigos pedem pra sair e outros saem por baixo desempenho. E isso é uma ótima oportunidade para as pessoas que estão desempregadas se reinserirem no mercado de trabalho", afirma. 

Bandeira entende que houve pequena melhora no setor. "Mas é muito cedo falar que a gente está em uma condição boa, até porque o faturamento ainda é abaixo do ápice da economia que foi em 2016 e 2014. E isso acontece, porque o Amazonas ainda passa por muita dificuldade, provando ainda ser um dos Estados que mais sofre com a crise econômica, uma vez que a taxa de desemprego no Amazonas foi a segunda ou terceira pior do Brasil passando dos 16% acima da média nacional. Sendo que o PIB do Estado teve uma perda de mais de 20% acumulado dos dois últimos anos. Então, é difícil falar que a crise está passando, ela ainda é profunda, só parou de cair", pontuou. 

Oferta de vagas 
A temporada de oferta de vagas no setor deve ocorrer entre setembro e dezembro - um "efeito de adiamento" em relação aos anos anteriores. "Antes da crise, mais de 20% das vagas começavam a ser preenchidas em setembro e outubro. Nos dois últimos anos, esse percentual não passou dos 15%", afirma Fábio Bentes, chefe da Divisão Econômica da CNC.

Os maiores volumes de contratação deverão se concentrar no segmento de vestuário (48,9 mil vagas) e no de hiper e supermercados (10,4 mil vagas). Além de serem os "grandes empregadores" do varejo - juntos eles representam 42% da força de trabalho do setor - esses segmentos costumam responder, em média, por 60% das vendas natalinas.


Salários
O salário de admissão deverá alcançar R$ 1.191; avançando, portanto, 7,1% em termos nominais na comparação com o mesmo período do ano passado. O maior salário de admissão deverá ocorrer no ramo de artigos farmacêuticos, perfumarias e cosméticos (R$ 1.446), seguido pelas lojas especializadas na venda de produtos de informática e comunicação (R$ 1.391); contudo, esses segmentos deverão ofertar apenas 2,1% das vagas totais a serem criadas no varejo. 

Efetivação dos temporários
Diante da perspectiva de retomada lenta e gradual da atividade econômica e do consumo no início de 2018, bem como dos impactos positivos sobre o emprego decorrentes da reforma trabalhista, a taxa de contratação dos trabalhadores temporários deverá voltar a crescer após o Natal.

"Ao contrário da média dos dois últimos anos, quando apenas 15% dos trabalhadores contratados em regime temporário foram efetivados após o fim do ano, a reação mais positiva da economia deverá elevar esse percentual para cerca de 27%", afirma Bentes. No período pré-crise, a taxa média de efetivação foi de 32,5%.

Fonte: Jornal do Comercio online

Por: Jefter Guerra jguerrs@jcam.com.br 
28 Set 2017, 15h58