PASCOA 2019



Setor aposta em estabilidade para a Páscoa 2019 

Os supermercadistas brasileiros esperam estabilidade para a Páscoa 2019, de acordo com estudo realizado pelo Departamento de Economia e Pesquisa da ABRAS, divulgado hoje, em coletiva de imprensa no Rio de Janeiro, que antecede a 53ª Convenção ABRAS. Para 60,5% dos empresários entrevistados, as vendas ficarão no mesmo patamar do ano anterior. No entanto, 22,2% dos supermercadistas estão otimistas em relação à data, e esperam vendas superiores às projetadas em 2018. Outros 17,3% estão mais pessimistas, e acreditam que o resultado de 2019 será inferior ao apresentado no ano anterior.

 O levantamento foi apurado em todas as regiões brasileiras de janeiro a fevereiro. As compras dos supermercadistas apontam para um crescimento de 0,4% em volume.

 Para o presidente da Associação Brasileira de Supermercados, João Sanzovo Neto, alguns fatores contribuíram para o resultado da pesquisa, dentre eles, a economia ainda tímida, desemprego, e, também, os hábitos de consumo adquiridos durante a crise, priorizando produtos de melhor custo-benefício.

  “A previsão de estabilidade é positiva, principalmente para muitos que viram suas vendas diminuírem no período da recessão. A Páscoa é um dos melhores momentos para o setor após o Natal, e espero que nossas expectativas sejam superadas, estamos trabalhando para isso”, destaca Sanzovo.

 Para 2019 o setor supermercadista segue otimista, com projeção de 3% de crescimento nas vendas. “Estamos em um novo ano, com novo governo, e as perspectivas da aprovação das reformas estruturais que o Brasil tanto precisa, principalmente, a da Previdência, nos impulsiona a acreditar que 2019 será melhor para o nosso setor, e estamos confiantes para os próximos meses”, declara o presidente da ABRAS.

 Compras

 Assim como nos anos anteriores, em relação às compras de chocolates, tradicionais da época, os varejistas preferiram ser mais cautelosos, e apostaram nos produtos de menor valor agregado, como os bombons, 3,9%, e as caixas de bombons de 400 gramas, 3,7%, chocolates (barra, tablete, confeitos, etc.), 3,4%. Em relação aos Ovos de Páscoa, somente os menores, de até 170g, registraram aumento nas compras em relação ao ano passado. O restante registrou queda nos pedidos: Ovos de Páscoa acima de 500 gramas, -1,8%, Ovos de Páscoa de 170g até 500g, -1,6%, e Ovos de Páscoa em geral, -0,6%.

     Em contrapartida, alguns produtos bem procurados na data tiveram aumento nas compras em 2019: cerveja, 5,8%, peixes em geral, 5,6%, refrigerante, 3,4%, azeites, 1,4%, bacalhau, 1,4%, vinhos nacionais 1,2%, vinhos importados, 0,3%, importados em geral, 0,3%. Assim como no ano passado, a colomba pascal apresentou queda nas encomendas, -1,5%.

 Preços

 Em relação aos preços, todos os produtos analisados registraram um aumento médio de 2% na comparação com o ano anterior.

Dentre os produtos mais consumidos na Páscoa, os refrigerantes foram os que apresentaram maior elevação no preço, 3,2%, seguidos das cervejas, 2,8%, peixes em geral, 2,7%, bacalhau, 2,1%, azeite, 1,9%, e vinhos nacionais,1,4%.

Por causa do câmbio, os importados em geral tiveram acréscimo de 1,8%.

 

Clique aqui e acesse a apresentação na íntegra

 

Redação Portal ABRAS